Menu

IPT: Audiência de conciliação acontece nesta sexta-feira (20)

  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

O SINTPq, juntamente com seu departamento jurídico, conseguiu agilizar o agendamento de audiência de conciliação. Atendendo às solicitações do sindicato, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) marcou a conversa com o IPT para amanhã, dia 20, às 15h30. A íntegra do despacho está disponível no link.

A direção do SINTPq está fazendo o possível para resolver o impasse pela via negocial. Basta que empresa e governo estadual cumpram sua palavra para que a greve se torne desnecessária.

Caso não haja acordo, o estado de greve continua até terça-feira, dia 24, como deliberado na última assembleia. Após a audiência de conciliação, os trabalhadores e trabalhadoras serão devidamente informados.

Leia mais ...

Amazul: TST publica acórdão do Dissídio Coletivo 2018

  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) publicou o acórdão referente ao julgamento do Dissídio Coletivo 2018. Conforme informado anteriormente, o tribunal rejeitou a correção da defasagem acumulada nas campanhas salariais anteriores, correspondente a 10,24%. Entretanto, diferentemente do que a Amazul divulgou após a audiência, no acórdão consta que o reajuste aplicado nos salários e benefícios deverá ser de 2,94%, e não 2,05%.

Na semana passada, a empresa afirmou que entraria com petição de embargo de declaração pedindo esclarecimentos sobre os índices considerados na sentença (INPC ou IPCA). Ou seja, pode-se dizer que a direção da Amazul acredita que o erro material ocorrido no começo do ano se repetiu e que, na verdade, o reajuste corresponde aos mesmos 2,05% já praticados. Na avaliação do SINTPq, o acórdão está claro em relação ao reajuste e a empresa deverá pagar a diferença de 0,89% nos salários e benefícios.

Em relação aos demais itens envolvidos no dissídio, como vale refeição e compensação das horas paradas, não houve mudanças. O SINTPq espera que a Amazul tenha bom senso e reconheça de imediato a decisão judicial, aplicando a devida diferença nos salários e benefícios.

A obtenção da correção inflacionária e a manutenção dos benefícios até aqui foi uma vitória possível graças à greve e ao dissídio. Os funcionários e funcionárias não podem esquecer que, em março de 2018, a proposta final do governo e da Amazul era de 0% de reajuste e retirada de benefícios. Sem a luta coletiva dos profissionais e o trabalho do sindicato, na organização da greve e na condução jurídica do processo, a situação vivida hoje na empresa seria ainda pior.

A única forma de combater esse ciclo de retrocessos é lutando coletivamente. Cada trabalhador e trabalhadora pode contribuir com essa luta participando das mobilizações e greves, mantendo-se informado e fortalecendo sua entidade representativa, por meio da sindicalização. Reflita sobre essas importantes questões e vamos juntos construir melhores relações de trabalho na Amazul.

Leia mais ...

Fundag: 1ª rodada negocial é encerrada e assembleias serão marcadas

  • Escrito por
  • Seja o primeiro a comentar!

Na última semana, SINTPq e Fundag concluíram a primeira rodada de negociações. Duas reuniões foram realizadas até que uma contraproposta fosse finalizada. Na primeira delas, em 16 de agosto, a empresa tentou reduzir benefícios, como a estabilidade pós licença maternidade. Além disso, os reajustes salariais oferecidos deixavam muito a desejar, sendo:

  • Reajuste de 60% do IPCA (3,22%) para salários até R$ 2.000,00
  • Reajuste de 40% do IPCA (3,22%) para salários entre R$ 2.000,01 e R$ 4.000,00
  • Reajuste de 30% do IPCA (3,22%) para salários entre R$ 4.000,01 e R$ 6.000,00
  • Reajuste de 15% do IPCA (3,22%) para salários acima de R$ 6.000,00

Na ocasião, o SINTPq afirmou que as condições eram inaceitáveis e insistiu na argumentação. Outra reunião negocial foi realizada em 10 de setembro. Nela, foi possível preservar os benefícios e melhorar os reajustes, confira abaixo.

  • Reajuste conforme o IPCA (3,22%) para salários até R$ 6.000,00
  • Reajuste de 80% do IPCA para salários a partir de R$ 6.000,01
  • Reajuste conforme o IPCA nos benefícios econômicos
  • Manutenção dos demais direitos previstos no Acordo Coletivo de Trabalho

A contraproposta da Fundag também garante a inclusão no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) do limite de R$ 200,00 na participação da assistência médica. Esse limite já é praticado, mas ainda não estava oficializado em ACT.

Assembleias serão realizadas em Campinas e Ribeirão Preto para deliberação da contraproposta. O SINTPq está buscando reservar espaço adequado em Ribeirão e, por isso, ainda não foi possível agendar as assembleias. Assim que a data estiver disponível, os funcionários e funcionárias serão comunicados.

 

Leia mais ...
Assinar este feed RSS