Menu

Amazul: Governo mantém 0% e dissídio irá a julgamento

O SINTPq foi informado pelo seu departamento jurídico de que o SEST (Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais) não autorizou qualquer mudança nas condições anteriormente apresentadas. Dessa forma, a contraproposta segue sendo de 0% e fim da ultratividade.

Essa resposta será protocolada pela Amazul na Justiça do Trabalho e amanhã, dia 21, o advogado do Sindicato entrará com a defesa. Feito isso, o dissídio seguirá para julgamento. Assim que a Justiça definir a data da audiência, os trabalhadores e trabalhadoras serão informados.

A resposta aviltante apresentada pelo SEST demonstra que o Governo Federal segue com sua lógica de desvalorização dos trabalhadores e sucateamento da ciência e tecnologia brasileira. Entretanto, os profissionais da Amazul já provaram que estão dispostos a lutar em defesa de seus direitos e pela soberania nacional.

Um projeto tão importante para o país não pode ser tratado com tamanho desrespeito, sendo usado apenas como palanque político de Michel Temer em visitas a Itaguaí-RJ. O SINTPq e seu departamento jurídico, juntamente com os trabalhadores e trabalhadoras, seguirão na luta adotando as medidas judiciais necessárias.

O Sindicato está avaliando o melhor momento para convocar novas assembleias no CEA e CTMSP durante o andamento do processo. Tão logo novidades estejam disponíveis, os funcionários da Amazul serão informados.

voltar ao topo