Menu

1º de Maio terá ato virtual organizado pelas centrais sindicais

O atual governo tem tomado uma série de medidas que prejudicam os trabalhadores e afetam seus direitos, com a edição de emendas constitucionais e medidas provisórias perversas, sob a falsa alegação de garantia de empregos, quando na verdade a intenção é a redução do custo do trabalho para financiar a crise e o lucro capitalista. A pandemia deixa claro o caráter classista que o presidente e seus aliados têm, inclusive daqueles que o ajudaram a se eleger. Enfrentando tantos percalços, o Dia Internacional do Trabalhador ganha um valor de luta ainda maior. Se opor às injustiças do governo é essencial para manutenção dos direitos dos trabalhadores de todas as bases e classes sociais.
Diferente de outros anos, dessa vez os atos públicos presenciais foram cancelados para evitar aglomerações e respeitar o isolamento social. O SINTPq reforça que é importante que os trabalhadores respeitem as regras da OMS e fiquem protegidos até que a situação se normalize. Ainda sim, a tecnologia permite que diversos “atos online” ocorram para marcar esse 1° de Maio. Abaixo, é possível conferir algumas das programações para esse dia tão importante:

1° de Maio Solidário
Centrais sindicais, sindicatos e movimentos sociais preparam o 1º de Maio Solidário virtual, em defesa da saúde, do emprego e renda nesta sexta-feira.
As lives começam às 11:30h e contarão diversos músicos, de Zélia Duncan a Roger Waters.

1º de maio: A Psicologia em defesa dos direitos
Neste debate, as psicólogas convidadas irão discutir sobre o cenário atual das relações de trabalho e desemprego, especialmente no período da pandemia; a "flexibilização das condições de trabalho"; o direito ao trabalho decente e ao salário; as condições de trabalho e saúde das/os trabalhadoras/es; as implicações do trabalho na saúde (mental e física).

Palestra com o economista e professor da Unicamp Marcelo Manzano
É possível aumentar a dívida pública sem destruir o país? Esse é um dos questionamentos que o professor Manzano propõe debater na live que será realizada nesta sexta-feira (1), às 16h.

 

voltar ao topo