Menu

Comunicação

Eleições SINTPq: Conheça as pessoas que formarão a nova direção do sindicato

O SINTPq está encerrando mais um ciclo de sua história com o término da Gestão 2018/2021. Com isso, no início de junho, os sócios e sócias do sindicato definirão em votação online a diretoria que estará à frente da instituição pelos próximos três anos. Neste ano, apenas a chapa "Solidariedade e Diversidade na Luta" se inscreveu para o pleito. Mesmo assim, é de extrema importância a participação dos associados, registrando seus votos, e da categoria como um todo, tomando ciência do processo e conhecendo os membros e as bandeiras da chapa. Confira a seguir.

SOLIDARIEDADE E DIVERSIDADE NA LUTA

UMA CHAPA BASEADA NA INCLUSÃO E DIÁLOGO COMO INSTRUMENTOS DE MOBILIZAÇÃO EM PROL DA CATEGORIA

Nos dias 7, 8 e 9 de junho, ocorrem as eleições do SINTPq para a gestão 2021/2024. A nova composição traz o símbolo da diversidade para esta gestão, contando com maior número de integrantes, mais jovens e de um leque maior de empresas da nossa base. Com isso, esta chapa renova o compromisso de travar a luta contra a crescente precarização do trabalho em CT&I e o sucateamento do patrimônio público.

A pandemia do novo coronavírus acelerou o processo neoliberal de acumulação de riquezas nas mãos de poucos e novos bilionários, às custas da diminuição da proteção social do povo e da retirada de direitos dos trabalhadores. O setor produtivo está saindo do país, aprofundando o processo de desindustrialização e as chagas do desemprego.

Neste período tão sinistro da nossa história, em que se trava uma verdadeira batalha pelas vacinas, pudemos constatar a grande diferença que um sistema de Ciência, Pesquisa, Tecnologia e Inovação robusto e soberano pode fazer. A tecnociência precisa servir a uma sociedade solidária e para uma economia solidária, e não apenas aos interesses das descomunais corporações e de multibilionários que representam a minoria acumuladora da população.

Estaremos engajados na luta em defesa do trabalho digno no sistema de CT&I, contra a terceirização e a pejotização e cortes no orçamento do sistema público de financiamento da ciência nacional. Esta nova chapa vem de cabeça e peito abertos para acolher as mais diversas demandas da categoria, ao mesmo tempo que sustenta responsabilidade da história democrática e progressista deste sindicato, que acaba de completar 30 orgulhosos anos.

Queremos agregar ao nosso coletivo mentes progressistas e dispostas a partilhar o caminho da defesa do trabalho técnico-científico digno, isonômico e soberano, por melhores condições de trabalho para que o país volte a crescer. Una-se a nós para mais essa fase de realizações.

FALA, PRESIDENTE!

 

| JOSÉ PAULO PORSANI |
CPQD
Matemático, Técnico Eletrônico e Presidente do SINTPq

Sou sócio fundador do sindicato, inclusive, participei junto com muitos outros companheiros da construção e de toda a organização do SINTPq. A história de luta dos trabalhadores e do movimento sindical sempre foi difícil no embate contra o capital, que dispõe de todo o aparato econômico e institucional a seu favor. Entretanto, do lado do trabalhador e da trabalhadora, temos nossa união e nossa capacidade de resistência. Este desafio sempre me fascinou, pois sempre acreditei na luta coletiva e numa sociedade justa e igualitária. Sei que através do sindicato posso ajudar na construção de uma sociedade melhor.

BANDEIRAS E PROPOSTAS

- Defender a valorização do trabalho, a unidade da classe trabalhadora e lutar por aumentos reais nos salários;

- Informar e discutir com a categoria as alterações nos contratos de trabalho, buscando fortalecer a luta contra a precarização da CLT;

- Fortalecer o diálogo e atualizar a categoria sobre assuntos de interesse, que envolvam ciência, pesquisa e tecnologia, além da defesa e valorização dos Institutos;

- Ampliar e atualizar os canais de comunicação do SINTPq, em especial os digitais, para que as informações alcancem um maior número de trabalhadores e trabalhadoras;

- Estruturar um canal de denúncias para que o trabalhador tenha um espaço onde possa apontar abusos e ilegalidades sofridas no seu local de trabalho;

- Defender a equidade e combater todo tipo de discriminação no ambiente de trabalho e na sociedade;

- Diversificar a atuação do SINTPq de forma a abranger os interesses da juventude;

- Firmar parcerias com instituições de ensino a fim de disponibilizar aos trabalhadores da categoria opções de cursos e formação técnica;

- Promover debates e ações que possam garantir a saúde física e emocional dos trabalhadores nos diversos ambientes de trabalho;

- Atuar na defesa do meio ambiente, desenvolvendo e participando de projetos na área e reivindicando medidas de proteção ambiental;

- Participar ativamente da luta por um país verdadeiramente justo e democrático;

- Promover o uso da CT&I, da tecnociência e da economia solidária para o bem-estar da população, visando alcançar o patamar de país justo, solidário, saudável e soberano.

CONHEÇA OS MEMBROS DA CHAPA

No material disponível no link abaixo, você confere os nomes do integrantes da chapa "Solidariedade e Diversidade na Luta", as empresas onde atuam e suas funções. Novamente, a renovação é um dos destaques na composição, com muitas caras novas dispostas a construir um sindicato cada vez mais forte e dinâmico.

ACESSE O BOLETIM OFICIAL DA CHAPA

Como em toda eleição sindical, apenas os associados e associadas poderão votar. Eles receberão as orientações para registrar seus votos remotamente. A plataforma de votação será aberta às 8h do dia 7 de junho, com fechamento marcado para 17h do dia 9. 

Instituto Agronômico de Campinas, um patrimônio sob ameaça

Artigo do presidente da APqC, João Paulo Feijão Teixeira, publicado no jornal Correio Popular em 13/05/2021 

No próximo dia 27 de junho, o Instituto Agronômico de Campinas (IAC) completa mais um ano de atividades. São 134 anos de efetivo trabalho de pesquisa gerando conhecimentos, tecnologias, formando recursos humanos e promovendo a inovação em prol da agricultura brasileira. 

Patrimônio da Cidade de Campinas, o IAC está na gênesis da grande concentração de competência em ciência e tecnologia na região, congregando outros institutos, universidades e empresas. 

A instituição participou ativamente do processo que viabilizou grandes arranjos agroindustriais ligados à citricultura, ao café, à cana-de-açúcar, soja e algodão, todos de importância indiscutível do ponto de vista do emprego e da economia no País. 

O IAC suporta tecnologicamente a viticultura, a produção de hortifruti de variadas espécies, de amendoim, feijão, borracha da seringueira e outros. Suporta ainda, tecnicamente, a produção vegetal transferindo tecnologias voltadas à agricultura sustentável, novas variedades, nutrição e controle de pragas e doenças. 

Atua também nas questões relacionadas à biodiversidade, às mudanças climáticas, ao planejamento territorial, uso e ocupação do solo, na conservação da água. Trata-se de uma instituição centenária, mas viva, ativa, atuante e reconhecida por tudo que já fez e faz, apesar do descaso com que é tratada pelo governo estadual. 

A falta de recursos humanos, resultado da não reposição de pesquisadores científicos (o último concurso para contratação foi em 2003), tem impactado tanto o trabalho de pesquisadores quanto o de pessoal de apoio à pesquisa. O problema é evidente e preocupante, pois perde-se conhecimento não codificado e cessam alguns programas de pesquisa que estavam em andamento.  

Apesar de agricultura ser um destaque, mesmo em época de pandemia esse baluarte pioneiro da pesquisa agrícola fica sob risco. Não bastassem os problemas apontados, hoje há grande revolta e preocupação no corpo de servidores do IAC. Tal indignação é fruto de informação divulgada extraoficialmente de que o prédio central do instituto, localizado na Avenida Barão de Itapura desde 1887, será transferido à Prefeitura Municipal de Campinas por ação da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. 

Para quê? O que isso promove em benefício da centenária instituição ou da agricultura? Ou esta medida seria só mais um detalhe do desmonte da estrutura governamental em curso, sem respeitar instituições que conquistaram respeitabilidade e se perenizaram por competência e efetividade.  

A Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado de São Paulo (APqC) está atenta a esse movimento de desestruturação do patrimônio público estadual e envidará esforços para que isso não se concretize.  

Ambev oferece mais de 300 vagas na área de TI

A Ambev abriu mais de 300 vagas para profissionais de tecnologia, que irão compor a Ambev Tech, hub de tecnologia criado pela empresa para criar e desenvolver soluções tecnológicas inovadoras para todo o processo produtivo da companhia. O processo seletivo é 100% online e os interessados devem se inscrever no site da empresa (http://ambevtech.gupy.io/). Vagas e áreas disponíveis: 
 
Desenvolvimento de software: 130 
Arquitetura de software: 24 
Dados & Analytics: 25 
Produto / Negócio: 27 
Infraestrutura: 30 
Design: 17 
QA: 15 
Agilidade: 10 
DevOps: 9 
Gestão: 21 
 
A Ambev Tech possui escritórios em Blumenau-SC, Maringá-PR, Jaguariúna-SP, Campinas-SP e na cidade de São Paulo, porém, profissionais de todo o Brasil podem concorrer às vagas, dado que o trabalho poderá ser realizado de maneira remota, presencial ou híbrido. Essa definição será feita ao longo do processo seletivo e nas entrevistas, mas no momento todos os profissionais estão trabalhando de maneira remota. 

FUSP: 1º reunião de negociação da campanha salarial está marcada para 17/05

No dia 17 de maio, SINTPq e FUSP terão a primeira reunião de negociação da campanha salarial 2021/22. O encontro acontecerá às 10h, de forma remota.

A reunião tem a finalidade de debater as demandas presentes na pauta de reivindicações deste ano, deliberada na última assembleia. Após a discussão com a empresa, o sindicato informará aos trabalhadores os resultados da reunião.

Assim que uma contraproposta for formalizada, uma assembleia será convocada com os profissionais da empresa. Acompanhe os próximos comunicados e contribua repassando as informações aos seus colegas de trabalho.

Assinar este feed RSS