Menu

Comunicação

CPqD: Assembleia com sindicalizados discute plano médico

Desde o anúncio da coparticipação na assistência médica do CPqD, o sindicato vem discutindo alternativas para a questão. Após conversas entre a diretoria e o departamento jurídico, o SINTPq decidiu pela convocação de uma assembleia com seus associados. Neste encontro, serão avaliadas e deliberadas as próximas ações jurídicas e/ou políticas do sindicato.

A assembleia acontece no dia 24 de abril, às 18h, na sede do SINTPq, localizada na Av. Esther Moretzshon Camargo, 61, Parque São Quirino – Campinas. Todos os funcionários sindicalizados do CPqD estão convocados. Serão eles que decidirão sobre as medidas a serem tomadas e quem se beneficiará delas.

Com a reforma sindical, em casos como esse, a prioridade do SINTPq serão os trabalhadores associados. Agora, mais do que nunca, eles serão os responsáveis e beneficiários diretos das ações do sindicato, pois garantem a manutenção e o fortalecimento da instituição.

Mudanças no comando do CPqD

Nesta semana, o SINTPq foi informado sobre a saída do vice-presidente financeiro do CPqD, Carlos Eduardo Sala. Segundo o comunicado oficial, esse desligamento se deu por motivos particulares.

Neste ano, a direção da Fundação passou de quatro para dois VPs. Além disso, ocorreram vários desligamentos em outros postos e cargos de confiança. O sindicato não sabe ao certo qual é a estratégia da atual direção em relação ao futuro da instituição. Entretanto, é fato que, com esses desligamentos, o CPqD consegue reduzir consideravelmente sua folha de pagamento. Com isso, a empresa, certamente, não precisaria ter imposto a coparticipação na assistência médica.

O SINTPq defendia a redução dos VPs desde o início da crise financeira. Com a saída desses dois membros, o sindicato entende que este não é o momento para repor seus cargos. Eles custam caro para a instituição e, com certeza, serão encontradas opções que cumpram o mesmo papel sem esse alto custo.

Profissionais da Daitan recusam proposta de PLR

Os funcionários e funcionárias da Daitan rejeitaram a proposta da empresa para o pagamento da PLR (Participação nos Lucros e Resultados). A decisão foi deliberada em assembleia realizada ontem, dia 12, na sede do SINTPq.

Os profissionais presentes não concordaram com a forma de distribuição dos valores, que seria feita de modo inteiramente proporcional aos salários. Dessa forma, os trabalhadores reivindicam que a empresa apresente o montante total da PLR e seus respectivos valores nas seguintes opções:

  • • Distribuição integralmente proporcional aos salários;
  • • Distribuição igualitária para todos os funcionários;
  • • Distribuição mista, com 50% do valor sendo divido de forma proporcional e outros 50% de modo proporcional às remunerações.

Assim que a empresa apresentar essas informações, uma nova assembleia será convocada para que os trabalhadores deliberem a melhor opção. O objetivo do sindicato é realizar esse próximo encontro na sede da empresa.

Pela revogação da “reforma” trabalhista e o direito do povo decidir

Desde o início da turbulência política vivida no Brasil, a direção do SINTPq manifesta abertamente suas posições à categoria. Em todos os seus pronunciamentos, o sindicato, preocupado com a defesa e preservação dos direitos dos trabalhadores, apresentou sua preocupação com os rumos que o País tomava. Não faltaram alertas sobre os retrocessos das “reformas” previdenciária e trabalhista, sobre o reflexo da “PEC do Teto” nos investimentos em ciência e tecnologia e sobre o desmonte do Estado de modo geral.

Hoje, infelizmente, o cenário premeditado desde 2015 se confirmou. Empresas da base do SINTPq tentam retirar direitos a seu bel-prazer, amparadas pela nova legislação; centros e instituições públicas de pesquisa agonizam diante de um sucateamento estrutural, reajustes de 0% são oferecidos e postos de trabalho são ceifados diariamente.

Essa realidade enfrentada pelos profissionais da categoria é fruto do posicionamento do atual governo, baseado na submissão aos interesses internacionais, desmonte do capital intelectual e produtivo nacional e privatização dos nossos recursos e setores estratégicos. Exemplos desse alinhamento adotado pelo golpista Michel Temer não faltam, como a venda a Eletrobrás, o corte de 44% no orçamento do MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação) e a entrega do Pré-sal às petrolíferas estrangeiras.

Com a chegada das eleições presidenciais, o povo brasileiro teria a oportunidade de interromper esse processo, que teve início sem o seu aval nas urnas. Avaliando diferentes projetos, de diferentes candidatos, a sociedade poderia escolher qual rumo deseja para o País. Entretanto, a prisão do ex-presidente Lula, decretada antes mesmo do esgotamento dos recursos por uma justiça seletiva e alinhada com os interesses da grande imprensa, prejudica esse debate.

Em sua pré-campanha, o ex-presidente Lula, que lidera todas as pesquisas, sugeriu um plebiscito para decidir a revogação da “reforma” trabalhista. Uma proposta e um posicionamento como esse seriam muito importantes durante o debate eleitoral. Seria uma oportunidade para a população, com base em seu julgamento, voltar a assumir seu protagonismo na condução do País, coisa que não acontece desde 2015.

O SINTPq espera que a revogação das “reformas” e a retomada da soberania nacional possam estar presentes nas eleições, não apenas com Lula, mas também com quaisquer outros candidatos que prezem pelo Estado brasileiro e pela justiça social. Incoerências, manobras e perseguições do nosso questionável judiciário não podem seguir lesando a já combalida democracia brasileira.

Trabalhadores da NXP aprovam acordo de PLR

Durante assembleia na manhã de ontem, dia 11, os profissionais da NXP aceitaram a proposta da empresa para a PLR (Participação nos Lucros e Resultados). Com a aprovação, o pagamento será feito no dia 25 deste mês.

Os valores da participação serão definidos por três critérios, sendo eles: performance da empresa, incentivo segundo a graduação dos profissionais e performance individual.

A íntegra do acordo para a PLR pode ser conferida no link. Acesse o documento e confira todos os detalhes.

Direção do sindicato terá representante da NXP

Em junho deste ano, o SINTPq realiza eleições para definir a gestão 2018/2021. Edson Nakamura, trabalhador da NXP e sócio de longa data do sindicato, integra a chapa que irá participar do processo eleitoral.

Como apenas uma chapa se inscreveu, a partir de julho, os funcionários poderão contar com um representante na direção do SINTPq. Será a primeira vez que o sindicato terá um diretor oriundo da NXP. Isso, certamente, irá melhorar muito a interlocução e a relação entre sindicato e trabalhadores.

Assinar este feed RSS