Menu

Comunicação

Servidores e empregados públicos terão que escolher entre emprego e aposentadoria

Com a aprovação da Emenda Constitucional n° 103, os empregados públicos – profissionais contratados via concurso, mas regidos pela CLT – terão que escolher entre a aposentadoria e a continuidade no emprego. Além disso, eles perderam o direito à multa de 40% sobre o FGTS ao se aposentarem. Neste episódio, abordamos as mudanças que esses trabalhadores terão que enfrentar, apresentando as principais diferenças do novo regime e para quem ele se aplica. Os convidados desse programa são o advogado José Antônio Cremasco, responsável pelo jurídico do SINTPq, e o presidente do sindicato, José Paulo Porsani. 

 

Clique aqui para ouvir no Spotify

Greve dos petroleiros está suspensa após assembleias e abertura de negociação

Assembleias nas bases decidiram nesta quinta-feira (20) suspender a greve dos petroleiros em todo o país, no que seria o 20º dia de paralisação. O movimento foi iniciado após anúncio de demissões em massa na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR) – também entrou na pauta o sucateamento da instituição. As negociações avançaram após o crescimento da paralisação pelo país e interferência de parlamentares, que procuraram a Justiça do trabalho.

O movimento não não se intimidou com decisões monocráticas do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e do Supremo Tribunal Federal (STF) – consideradas abusivas por violar o direito de greve e configurar prática antissindical. A empresa foi, entretanto, orientada por decisão do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná a suspender as demissões na Fafen e restabelecer o diálogo com os petroleiros. Foi o caminho para o fim do movimento. Uma rodada de negociações está prevista para esta sexta (21), em Brasília, com mediação do próprio TST.

A Federação Única dos Petroleiros (FUP), formada por 13 sindicatos filiados, orientou pela suspensão da greve até segunda ordem, com objetivo de apontar para um gesto de construção do diálogo. Os dirigentes da FUP Deyvid Bacelar, Ademir Jacinto (Mãozinha), Tadeu Porto e Cibele Vieira – que ocupavam um ambiente no edifício-sede da Petrobras no Rio de Janeiro – deixaram o local. Emocionada, Cibele disse que considera o movimento vitorioso. “Ficamos 20 dias na sede da empresa. Eles sabem que hoje o controle está mais com a gente do que com eles.” Os ativistas, que chegaram a ficar sem energia, água e alimentos, foram recebidos com festa no centro da capital fluminense.

“Ficou bem clara a denúncia. Essa gestão e esse governo Bolsonaro tentam colocar que tudo se resolve por eles. Querem propor acordos individuais, tentam esvaziar o sentimento de coletividade. A essência do movimento sindical é a coletividade, a empatia e a solidariedade. Isso eles não têm e não respeitam. Não entendem”, completou Cibele.

por Redação Rede Brasil Atual

Amazul: Audiência do Dissídio 2020 é marcada para 3 de março

Após a abertura de Dissídio Coletivo em comum acordo com a empresa, a audiência no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) foi marcada para o dia 3 de março, às 16h30, na sede do Tribunal, localizada na capital paulista.

Dependendo do resultado da audiência, a assembleia do dia 5 de março será mantida ou remarcada. Os funcionários serão informados previamente caso haja mudança. Até lá, é importante que todos sigam mobilizados, usando os adesivos entregues, compartilhando os comunicados do sindicato e dialogando com os colegas sobre a atual conjuntura.

Confira o comunicado anterior e entenda a situação vivida na Amazul.

Linha do tempo: Confira um resumo dos 30 anos do SINTPq

Agora, os profissionais atendidos na sede do SINTPq podem conhecer um resumo dos seus 30 anos de história. Para isso, basta conferir o banner com a linha do tempo. Você também pode conhecer os momentos marcantes do sindicato passando pelas imagens abaixo. Dá só uma olhada:

1990 | SINTPq é fundado no CPqD (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações) no dia 13 de novembro

1991 | CPqD demite os diretores do sindicato. Eles só retornam em 1993, após vitória judicial

1991 | Profissionais do CNPEM (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais) aderem ao SINTPq

1993 | SINTPq se torna representante dos profissionais do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas)

1995 | SINTPq se filia à Central Única dos Trabalhadores

1996 | Telebrás descumpre Acordo Coletivo e sindicato organiza greve no CPqD

1997 - 1998 | SINTPq luta em defesa da Telebrás pública e atuante no desenvolvimento nacional

1999 - 2001 | Sindicato busca garantir recursos para o CPqD por meio do FUNTTEL (Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações)

2002 - 2014 | Base de representação é ampliada com novas empresas do setor

2015 | Greve de sete dias no IPT conquista melhorias

2016 | SINTPq inaugura novas instalações em sua sede

2016 | Pela correção salarial, SINTPq organiza série de paralisações no CPqD

2017 | SINTPq vai às ruas contra os ataques das reformas trabalhista e previdenciária

2017 | Em defesa do plano médico, SINTPq e funcionários realizam manifestações no IPT

2018 - 2019 | Contra perdas salariais, duas greves são realizadas na Amazul (Amazônia Azul Tecnologia de Defesa S.A.)

2019 | Com outros cinco sindicatos e uma associação de moradores, SINTPq funda o IDET (Instituto Popular de Desenvolvimento em Educação, Trabalho e Tecnologia) visando promover benefícios aos sindicalizados e ações de cidadania

Assinar este feed RSS