Menu

Ricardo

Veja os candidatos eleitos que apoiam o Software Livre

O tema da tecnologia brasileira e tecnologia aberta também fez parte de debates e programas de intenção de alguns candidatos parlamentares no primeiro turno.

Depois de realizar uma campanha para identificar e visibilizar os candidatos às eleições de 2014 que apoiam o Software Livre, a Associação Software Livre.Org divulgou um levantamento dos eleitos que se posicionaram favoravelmente à causa.

A Comunidade Curitiba Livre foi uma das principais ativadoras da iniciativa. Procurou contato com diversos pretendentes às vagas de deputados perguntando suas posições e apresentando sua plataforma. 

A lista de candidatos a Deputado Estadual e Deputado Federal que receberam da Associação a camisa da campanha "Pense o Brasil. Use Software Livre" e vestiram, aderindo a estas intenções, ou assinaram a carta compromisso com o Software Livre elaborada por esta comunidade pode ser consultada aqui:

CANDIDATOS ELEITOS QUE APOIAM O SOFTWARE LIVRE:

http://softwarelivre.org/eleicoes-2014/blog/bem-vindo

CANDIDATOS QUE APOIARAM O SOFTWARE LIVRE NO PRIMEIRO TURNO

http://softwarelivre.org/portal/noticias/eleicoes-2014-e-os-candidatos-que-apoiam-o-software-livre

Fonte: Software Livre.org

Argentina lança primeiro satélite com tecnologia própria

A Argentina lançou nesta quinta-feira (16) o Arsat-1, seu primeiro satélite geoestacionário de telecomunicações, desenvolvido com tecnologia própria, na base de Kourou, na Guiana Francesa.

"O Arsat 1 foi lançado com êxito ao espaço", informou a Presidência em um comunicado.

O satélite decolou às 21h44 GMT (18h44 de Brasília), a bordo de um foguete francês Ariane, que se desprendeu em seguida, até alcançar uma órbita de transferência, 300 km acima do nível do mar.

Imagens transmitidas pela televisão mostraram técnicos e cientistas comemorando na base de controle quando o satélite se desprendeu da estrutura do foguete. "Hoje é um dia histórico com o lançamento do Arsat 1, um satélite construído com tecnologia argentina, um investimento de 270 milhões de dólares e 1,3 milhão de homens-hora", disse o chefe do gabinete, Jorge Capitanich, com coletiva de imprensa.

Ele afirmou ainda que "70% de um satélite são as horas trabalhadas por cientistas e técnicos de alta qualificação".

O Arsat-1, com potência de 3.400 watts, foi desenvolvido ao longo de sete anos e fabricado na cidade de San Carlos de Bariloche (1.650 km a sudoeste de Buenos Aires) pelas estatais Invap e pela empresa Argentina de Soluções Satelitais (ArSat).

Quatrocentos especialistas participaram da construção do satélite geoestacionário que orbitará dando uma volta completa em 24 horas, o mesmo tempo em que a Terra dá uma volta completa em si mesma.

"A Argentina se soma ao seleto 'clube' de países que produzem este tipo de satélite - Estados Unidos, Rússia, China, Japão, Israel, Índia e (os da) zona do euro", declarou a presidente, Cristina Kirchner, no fim de agosto, quando o satélite partiu de Bariloche para ser levado à Guiana.

Este primeiro satélite - outro está em construção -, com vida útil estimada em 15 anos, terá sua potência máxima focada sobre Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai.

Ele fornecerá serviços de telefonia celular, TV digital, internet e transmissão de dados, permitindo que regiões mais isoladas sejam cobertas.

Fonte: G1

Foto: AP

Assinar este feed RSS