Campanha salarial no Sidia conquista aumento real e redução de jornada

13/10/2011

O Sidia foi uma das instituições que entrou para a base do SinTPq este ano e já conferiu na primeira negociação o impacto da atuação do Sindicato na vida dos profissionais. Entre as cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho 2011/2012 (ACT) houve aumento real e redução da jornada de trabalho sem redução de salários. 

O reajuste será de 9%, 7,23% de reposição de acordo com o IPCA acumulado em 12 meses até setembro e aumento real de 1,77%. E a redução da jornada de trabalho foi de 44 para 42 horas, sendo que o Sidia se comprometeu a iniciar nova conversa sobre o assunto em fevereiro, quando o objetivo será reduzir para 40 horas semanais. É importante ressaltar que não houve redução de salário, valorizando assim a hora/trabalho de cada profissional. 

A expectativa é que após as conquistas os profissionais entendem que para avançar por melhores condições é necessário fortalecer o SinTPq se sindicalizando. Com força, as negociações futuras trarão mais resultados.

 

Histórico

Antes, a unidade de São Paulo era representada por um sindicato de Manaus que não tinha contato com a realidade da categoria aqui no Estado. Isso gerava uma discrepância entre os ACTs da empresa e das instituições semelhantes dentro da mesma região.  

Como o SinTPq atua focado na categoria de pesquisadores, essas diferenças  serão corrigidas até que no Sidia os salários, benefícios e condições de trabalho sejam compatíveis com as intituições de pesquisa.

 

Desdobramentos

O aumento real no salário dos profissionais do Sidia em São Paulo impactou em Manaus/AM. Lá, caso o Sidia seguisse a convenção coletiva seria apenas 5% de reajuste, porém a empresa baseada nas discussões em São Paulo forneceu os mesmos 9%, porem continuam com a jornada de 44hs.

 

Redução da jornada

Os institutos de pesquisa não têm metas de produção e seus funcionários são cobrados pela capacidade de desenvolvimento, logo, não faz sentido cobrar horas trabalhadas e sim qualidade de atuação. Por isso, o SinTPq continuará na campanha pela redução da carga horária.