CPqD: Empresa não apresentou alternativas para a Campanha Salarial

22/02/2016

Em comunicado interno divulgado a última semana, a direção do CPqD reforçou aos trabalhadores da empresa sua pífia contraproposta de reajuste dos salários com impacto máximo de R$ 6 milhões. Proposta essa apresentada antes da última assembleia - realizada em 26 de janeiro - e também no dia 11 de fevereiro, antes da mesa de negociação no Ministério do Trabalho.

Nas duas ocasiões, o SINTPq reforçou à empresa sua defesa pelo reajuste de todos os salários pela inflação e não menos que isso. E, se a direção do CPqD ainda assim quisesse insistir no teto de R$ 6 milhões, que a mesma elaborasse essa proposta e não o sindicato. O SINTPq não é favorável à redução de salários e não iria contribuir com uma medida nessa direção.

Para esclarecer quaisquer divergências, o SINTPq disponibiliza ainda a todos os trabalhadores do CPqD a ata da Mesa Redonda realizada no Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), em que fica evidente que a empresa não levou uma nova proposta para a mesa de negociação.

Boatos de demissões já circulam na instituição, gerando um clima de terrorismo. O sindicato previu que situações como essa ocorreriam caso o CPqD seguisse com sua postura intransigente na negociação.

Cabe agora à direção da empresa vir a público tranquilizar os trabalhadores. Boatos de demissões deixam os funcionários apreensivos e desmotivados, atrapalhando o ambiente organizacional e o desenvolvimento do Centro.

Clique aqui para conferir a ata da Mesa Redonda realizada no MTPS.