CPqD: Trabalhadores rejeitam Garantemed mais caro e querem novas propostas para o fretado

18/06/2013

funcionários do CPqD rejeitaram  em assembleia realizada nesta segunda-feira (17) os estudos levados pela empresa sobre o fretado e Garantemed. "A presença e participação dos trabalhadores na assembleia reforçou a necessidade dos benefícios e apresentou outras possibilidades que não estavam sendo discutidas e, portanto, irão nortear os próximos passos a serem tomados pelo sindicato", garante Régis Norberto, presidente do SINTPq. As modificações nos benefícios foram estabelecidas na Campanha Salarial 2012, mas apenas neste mês o CPqD apresentou os estudos ao sindicato.

No primeiro caso, os funcionários apontaram problemas com os estudos sobre as linhas de ônibus fretado para os municípios vizinhos, alegando que o número de trabalhadores em cidades como Americana e Santa Bárbara d’Oeste, por exemplo, é muito maior do que se estima e há necessidade de linhas específicas, que beneficiem o trabalhador e não que aumentem consideravelmente seu tempo de trajeto de casa ao trabalho. Dessa forma, foi deliberado que o cadastro dos funcionários que necessitem do transporte intermunicipal deve ser realizado pelo CPqD, mas com novas propostas de trajetos.

Para o Garantemed, os trabalhadores mostraram insatisfação com os serviços oferecidos pela empresa. A proposta do CPqD de aumentar a lista dos medicamentos com incremento no custo para o funcionário, saindo de R$ 5,78 para R$ 23,78, foi rechaçada por unanimidade. Os trabalhadores aprovaram a proposta do SINTPq, que propõe à empresa arcar com o aumento no custo da nova lista de medicamentos até 31 de outubro, quando será estabelecido um novo Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) para os funcionários do CPqD.

O SINTPq entende que as propostas apresentadas pelo CPqD aos trabalhadores não refletem as necessidades dos funcionários, mas pelo contrário, aumentam o ônus ao funcionário na assistência médica e não apresentam alternativas concretas para o transporte. No próximo dia 1º o CPqD deve apresentar novos estudos ao sindicato que contemplem os problemas apresentados pelos trabalhadores da empresa.