SINTPq se manifesta sobre o IPT Open em reportagem do Estadão

27/09/2021

No último domingo, dia 26, o SINTPq ganhou espaço no jornal Estadão em reportagem sobre o IPT Open, projeto que está abrindo o campus do instituto para instalação de empresas e de uma universidade privada. A diretora do sindicato e pesquisadora do IPT, Priscila Leal, avaliou esse novo modelo em sua declaração à reportagem:

"O IPT sempre trabalhou com parceria público-privada, ele nasceu dessa forma para apoiar a indústria da construção civil no século XX, depois a indústria metalúrgica na era Vargas", aponta Priscila Leal, pesquisadora do instituto e diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Pesquisa, Ciência e Tecnologia (SINTPq). "Mas o que a gente vê com o Inteli e o IPT Open é um arrendamento do instituto. A gente perde assim a liberdade de servir à sociedade como um todo", afirma.

Priscila teme que a instalação de empresas dentro do câmpus faça com que os centros de pesquisa não estejam mais a serviço da sociedade. "Por que abrir uma universidade particular em assuntos que têm aderência dentro da própria USP e por que explorar comercialmente esse nicho educacional para um grupo restrito da sociedade, que vai trabalhar para o mercado financeiro ou interesses dos próprios grupos?", questiona. "Não é a faculdade, mas o modelo que é o problema." 

Cabe ressaltar que a diretoria do IPT Open é externa ao instituto e foi escolhida pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. A decisão ocorreu sem consulta aos empregados e seus representantes. Ou seja, não há escuta aos que realmente fazem a ciência e tecnologia no IPT, os trabalhadores e trabalhadoras.

Confira a reportagem