SINTPq apresenta propostas para fretado no CTI

04/03/2015

O SINTPq se reuniu na última semana com representantes do CTI e da Facti, separadamente, em busca de soluções para o fim do serviço de transporte fretado dos trabalhadores.

De acordo com Victor Mammana, diretor do CTI, a instituição está sendo questionada pelas autoridades competentes sobre o oferecimento do benefício. Além do Centro atualmente encontrar-se em área urbana, são apenas 22 os servidores que utilizam o transporte fretado. Ainda segundo Mammana o CTI está sem recursos para a manutenção do benefício.

O SINTPq propôs que o CTI custeasse pelo menos um ônibus e o sindicato, por sua vez, negociaria para que os outros dois fossem pagos pela Facti, que possui maior número de trabalhadores utilizando o benefício. O sindicato defendeu ainda que os ônibus fretados deveriam priorizar os pontos mais distantes do CTI, como por exemplo, a região do Ouro Verde.

Para o sindicato, retirar o fretado no momento em que o CTI está prestes a se tornar um pólo tecnológico é um enorme erro, principalmente se levarmos em consideração a atual precariedade do transporte coletivo em Campinas que possui altas tarifas, ônibus lotados, sem cobrador e com acúmulo de função para os motoristas.

Além de melhorar a pontualidade dos trabalhadores, o fretado diminui o número de carros nas ruas e colabora com a qualidade de vida dos funcionários que, em muitos casos, precisam cruzar a cidade para trabalhar.

O SINTPq defende que uma solução seja encontrada com agilidade por parte dos gestores, ampliando inclusive o diálogo com as outras empresas que atuam no CTI para divisão das despesas.

A Facti se comprometeu em realizar uma pesquisa interna para confirmar o número de usuários interessados e também discutirá o benefício em reunião com os funcionários.