Menu

SINTPq em defesa do SUS: Sindicato participa de ato contra cortes na saúde de Campinas

Na tarde de ontem, dia 24, o SINTPq participou de manifestação contra os cortes na saúde, em frente à Prefeitura de Campinas. A ação foi organizada pelo Conselho Municipal de Saúde, que desde o início do ano vem denunciando o fechamento de unidades de saúde e a falta de recursos básicos. O Sindicato integra o CMS e foi representado pelo diretor José Paulo Porsani durante o ato.

O protesto denunciou o sucateamento promovido pela prefeitura no setor e foi encerrado com o protocolo de um abaixo-assinado com mais de 25 mil assinaturas cobrando mais atenção e recursos para a rede municipal de saúde.

Aproximadamente 100 pessoas participaram da manifestação, que contou com a presença de membros do CMS, movimentos sociais, sindicatos e de cidadãos inconformados com a atual situação da saúde pública em Campinas.

Segundo a presidenta do CMS, Maria Haydée de Jesus Lima, o descaso da prefeitura fez com que o protesto fosse a única alternativa para chamar a atenção das autoridades. “Desde que esse Conselho assumiu, em fevereiro, temos denunciado essa situação, mas nada disso surtiu efeito. As autoridades nem mesmo compareceram às reuniões do Conselho Municipal. Dessa forma, consideramos melhor a sociedade falar por ela e o abaixo-assinado é uma forma de dar voz à população. Em menos de 30 dias, nós conseguimos coletar 25.800 assinaturas”, comentou a presidenta.

O diretor do SINTPq, José Paulo Porsani, chamou a atenção para a atual política de desmonte dos serviços públicos praticada no Brasil: “O número de assinaturas obtidas é uma vitória que mostra como o povo de Campinas está insatisfeito com o modelo de saúde pública do governo municipal. Esse projeto que destrói o Estado brasileiro é um projeto neoliberal. Um modelo de Estado mínimo que congela investimentos na saúde, educação e ciência. Esse projeto representa o fim dos serviços públicos e o governo Jonas Donizetti está em consonância com ele. ”

voltar ao topo