Bolsonaro bloqueia 44% dos recursos para financiamento da ciência no Brasil

Pelo menos 52 projetos serão prejudicados com o corte do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT)

27/06/2022

Foi com perplexidade e indignação que o SINTPq recebeu a notícia de que o principal fundo de financiamento à pesquisa do Brasil, o FNDCT (Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), perderá 44,76% de seus recursos após bloqueio autorizado pelo governo Jair Bolsonaro (PL). A estimativa é da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência).

Conforme nota da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em maio, o governo federal oficializou um bloqueio de R$ 1,8 bilhão no orçamento da Ciência, Tecnologia e Inovação. Pouco tempo depois, anunciou que esse valor subiria para R$ 2,5 bi, o que deve ser decretado em julho.

“O corte em si é ultrajante e coloca em risco todo o sistema de pesquisa científica e tecnológica do país. Mas além disso, revela que a ciência se tornou alvo preferencial do governo federal, impondo ao setor uma restrição orçamentária sem paralelo no Poder Executivo. De acordo com os dados divulgados pela equipe econômica, todas as pastas afetadas pelo bloqueio tiveram seus cortes orçamentários reduzidos, transferindo a carga para o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação”, diz a nota.

A secretária geral do SINTPq e pesquisadora do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), Priscila Leal, enfatiza o perfil obscurantista do atual Governo Federal, marcado por ataques aos centros de pesquisa e universidades públicas.

"Como era de se esperar de um governo obscurantista como este, cortar as verbas da ciência e tecnologia e desvalorizar a pesquisa científica brasileira é rotina. Acredito que, neste momento, já não restam mais dúvidas para os trabalhadores em pesquisa, ciência e tecnologia de que o governo Bolsonaro quer colocar o país em uma posição subordinada e dependente tecnologicamente. Sem o desenvolvimento científico e tecnológico nacionais, seremos eternamente um grande mercado consumidor, prestador de serviços em condições de trabalho precarizadas e exportador de commodities. É urgente retirar esses negacionistas do governo do país!" 

Para o deputado federal e integrante da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados, Nilto Tatto (PT-SP), o novo ataque à ciência e tecnologia é um desastre, mas haverá resistência e debate por parte da comissão.

“Esse bloqueio afeta muitos dos projetos que são fundamentais para enfrentarmos a crise climática e o desafio de gerar emprego, combater a fome e a miséria que o país enfrenta. Vamos resistir”, enfatiza.