Campanha Salarial: Trabalhadores do CPqD reivindicam recomposição inflacionária

26/01/2016

Em uma das mais representativas assembleias da história do sindicato, mais de 600 trabalhadores do CPqD estiveram presentes e recusaram por ampla maioria a contraproposta da empresa para a Campanha Salarial 2015/2016. A decisão foi votada na manhã de hoje, dia 26, com 472 votos contrários à proposta, 131 favoráveis e sete abstenções.

A grande participação e mobilização dos trabalhadores tornou evidente o desejo dos profissionais da instituição em discutir melhores relações de trabalho e o futuro do Centro. Os funcionários manifestaram suas opiniões durante toda a assembleia e fizeram questão de permanecer no local até o fim do debate. A quantidade de presentes foi tão grande que se fez necessário alocar trabalhadores nos dois anfiteatros laterais e neles transmitir o som da assembleia.

Em suas contribuições, os funcionários expuseram insatisfação com a proposta de reajuste abaixo da inflação, uma vez que isso representaria diminuição salarial. Dessa forma, os trabalhadores reivindicam que a direção do CPqD reconsidere sua contraproposta e ofereça a correção pelo IPCA.

O sindicato deixou claro que não aceitaria qualquer valor menor que a inflação e que, se fosse necessário, levaria a decisão para Dissídio Coletivo. Os trabalhadores optaram por dar um voto de confiança à direção do CPqD e reivindicam uma contraproposta à altura dos desafios da instituição em 2016.

O SINTPq já enviou carta a empresa, na qual pede a retomada das negociações, e informou que está solicitando ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) uma mesa redonda para mediação do conflito, sem prejuízo a entendimentos entre as partes.

A direção do CPqD tem mais uma oportunidade de fortalecer o ambiente organizacional e melhorar as relações de trabalho, apresentando uma contraproposta de reposição da inflação.

A não recomposição inflacionária desvaloriza o capital mais importante da instituição: o conhecimento e dedicação de seus funcionários, que todos os dias contribuem com o desenvolvimento tecnológico da empresa e do país. O sindicato defende a valorização do capital humano como forma de se garantir um futuro perene e promissor para o Centro.

A proposta

Em negociação no último dia 19, a empresa apresentou 2,47% de reajuste para todos os funcionários e o pagamento de abono único de 30% do salário a ser creditado junto com o pagamento das férias. Vale lembrar, no entanto, que o CPqD teve superávit em suas vendas e diminuição significativa das dívidas de suas empresas com o Centro em 2015, conforme comunicado interno divulgado.