CPqD apresenta propostas e Sindicato encaminha assembleia

23/11/2016

Em nova reunião de negociação entre SINTPq e CPqD, realizada na tarde de ontem, a direção do Centro confirmou suas duas propostas para a campanha salarial, divulgadas por e-mail aos funcionários na tarde de ontem. A primeira delas trata exclusivamente da campanha deste ano e a segunda, desrespeitando a decisão dos trabalhadores em assembleia, condiciona sua aprovação à retirada do dissídio coletivo de 2015.

Agindo de má fé, a direção do CPqD apresentou índices pífios para a proposta que respeita a reivindicação feita pelos funcionários de não unir os dois acordos. Seriam pagos, conforme a proposta, 2,32% de reajuste de forma linear a partir de novembro deste ano, valor muito abaixo do necessário para a recomposição inflacionária do período, correspondente a 7,87%.

Em sua segunda proposta, a empresa novamente não recompõe a inflação acumulada nas duas campanhas salariais e desrespeita os funcionários com salários superiores a R$ 6.597,00, oferecendo montantes irrisórios se comparados às perdas acumuladas nos últimos dois anos. Tal escalonamento deixa claro que progredir dentro da instituição tornou-se sinônimo de prejuízo aos trabalhadores.

Mais detalhes das propostas estão disponíveis no último comunicado enviado pelo CPqD aos funcionários.

Ambas as propostas representam perdas salariais e a segunda ainda trata de forma discriminatória os profissionais da instituição. Perante tamanho retrocesso, caberá aos funcionários decidir os rumos da campanha salarial.

Impasses na negociação
Conforme informado no último comunicado do SINTPq, enviado na manhã de ontem, a primeira reunião de negociação não chegou à uma definição e fez-se necessário uma nova rodada no dia seguinte.

Na primeira reunião, o Sindicato insistiu em debater o que havia sido deliberado em assembleia, desvinculando a ação de dissídio com a campanha deste ano. Tal conduta mostrou-se correta, pois ao tomar conhecimento das duas condições ficou evidente para o SINTPq que a primeira proposta representa apenas uma artimanha da empresa para forçar a aprovação da segunda.

O comunicado enviado pela direção do CPqD na tarde de ontem abordou a situação de forma desonesta e buscou apenas jogar os profissionais da instituição contra o SINTPq. Essa postura adotada pelos dirigentes do CPqD é inadmissível.

Próxima assembleia
Durante a reunião, o SINTPq questionou vários tópicos não abordados nas propostas, como férias programadas, dias pontes, retroativos dos benefícios, entre outros. Em contrapartida, a empresa afirmou que apresentará a íntegra das propostas por escrito e com todos os pontos esclarecidos.

A disponibilidade do auditório para realização da assembleia também foi questionada pelo Sindicato, que não obteve uma resposta de imediato. Assim que a direção do CPqD confirmar o agendamento do auditório e oficializar as duas contrapropostas, uma assembleia será convocada seguindo os trâmites e prazos legais para convocação.