IPT: Trabalhadores rejeitam contraproposta da empresa

17/06/2014

trabalhadores do IPT rejeitaram em assembleia realizada nesta segunda-feira, dia 16, por unanimidade, a contraproposta do Instituto para a Campanha Salarial 2014/2015. Uma nova assembleia será realizada no dia 25, às 9h, para discutir a mobilização dos funcionários caso não existam avanços com o IPT.

Diferente dos outros anos, a empresa não recebeu a diretoria do SINTPq para negociação e ofereceu apenas a reposição dos salários e benefícios pela inflação.

Diante do impasse, os trabalhadores discutiram ainda a diferença entre os salários e benefícios concedidos a outras empresas que, assim como o IPT, dependem do Governo do Estado de São Paulo, como os funcionários do Metrô, Sabesp, Cetesb e CPTM, que por acordos ou dissídios de greve tiveram reajustes melhores.

Frente à ausência de diálogo com a direção do IPT, os trabalhadores elencaram em assembleia pontos mínimos para aprovação de um Acordo Coletivo de Trabalho (ACT):

  • Reajuste salarial de 8,7%;
  • Reajuste nos benefícios de 10%;
  • Cesta básica reajustada conforme item anterior no mesmo valor para todos os empregados, tendo como base o maior valor atualmente praticado (R$268,00 - Duzentos e Sessenta e Oito Reais);
  • Implementação da cesta de natal (no mesmo valor da cesta básica) a ser praticada no mês de dezembro;
  • Plano de saúde com participação financeira de 80% do IPT e 20% (no custo do plano básico) para os todos os beneficiários;
  • Férias bipartidas para todos os trabalhadores que fizerem opção pelo parcelamento, independente da idade.


Em defesa da Pesquisa, Frente Parlamentar visita o IPT no dia 24

Na próxima terça-feira, dia 24, a partir das 9h, a Frente Parlamentar em Defesa dos Institutos e Fundações Públicas de Pesquisa será recebida no IPT para discussão dos problemas enfrentados pelo Instituto.

A Frente tem visitado todos os Institutos e Fundações paulistas com o objetivo de encontrar soluções frente ao abandono dos órgãos e pesquisadores pelo Governo Estadual. Todos os ipteanos e ipteanas estão convidados a participar e contribuir com a discussão.