Pergunte ao Tuca: confira perguntas enviadas à direção do CPqD; resposta será interna

07/07/2015

O SINTPq, pensando em ampliar o diálogo entre direção do CPqD, trabalhadores e sindicato, abriu no último mês um espaço para perguntas dos empregados ao presidente da empresa, o Pergunte ao Tuca. Recebemos muitas dúvidas via e-mail, selecionamos 10 questões (veja abaixo) e enviamos à direção do CPqD.

Apesar do sindicato ser um legítimo interlocutor dos trabalhadores, a empresa respondeu em comunicado (leia aqui) que irá responder às dúvidas internamente. Excluindo assim o sindicato do seu papel de representante e voz dos empregados, uma vez que as perguntas recebidas pelo SINTPq jamais seriam feitas publicamente pelos funcionários.

Já que a nova direção do CPqD se comprometeu a responder as questões por seus canais de comunicação, o SINTPq espera que assim cumpra seu compromisso. Dando mais transparência nas ações da instituição, aumentando o diálogo e motivação dos funcionários.

O sindicato abrirá em outras ocasiões espaços para o recebimento de dúvidas dos trabalhadores e levará à direção do CPqD.

Perguntas enviadas


1. O CPqD tem adotado a pratica de tratar as empresas do setor público como clientes. Como sua gestão pretende tratar essas relações, em especial nos casos Telebrás, Anatel e Ministérios?

2. Considerando que:

- A DSB, que recebeu o prêmio “Destaque do Ano” por seus resultados em 2014, teve seu corpo gestor completamente desmontado meses depois;
- Em mensagem enviada via e-mail para os funcionários do CPqD vossa senhoria defende a valorização dos talentos da instituição.
Quais serão os critérios de avaliação e valorização dos talentos na instituição, uma vez que cumprir metas estabelecidas pela empresa parece não garantir a manutenção do emprego.

3. Vossa senhoria concorda com a participação de funcionários no Conselho Curador do CPqD?

4. Qual o entendimento e posicionamento de vossa senhoria junto ao Conselho Curador sobre as principais áreas de trabalho atuais do CPqD (Desenvolvimento de SW, serviços técnicos especializados, P&D). Haverá alguma mudança de intensidade ou redirecionamento para novos setores?

5. Existe alguma reestruturação em estudo? Se sim, como será a comunicação (transparência) e critérios adotados para tal? Terá sequência o processo de demissão dos mais antigos na empresa?

6. Em reportagem publicada no dia 10 de junho, o site Convergência Digital apresenta números sobre as despesas do CPqD na área comercial e altos pagamentos de comissão, apesar da crise financeira, além de grande divergência salarial entre comercial x equipe técnica e contratos deficitários na empresa. São verdadeiras as afirmações feitas na reportagem? Se sim, vossa senhoria possui propostas para solução destas questões? Veja a íntegra aqui http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=39825&sid=11

7. O CPqD ficou conhecido mundialmente pela sua capacidade em P&D em telecom. Além dos recursos do FUNTTEL, quais outras fontes de recursos o CPqD busca para novos projetos de P&D?

8. São conhecidas diferenças salariais entre várias áreas dentro do CPqD, a exemplo, time de vendas e equipe técnica. Como a nova Presidência do CPqD tratará as divergências salariais entre os funcionários?

9. Se a justificativa do CPqD para não haver PLR (Participação nos Lucros e Resultados) é o caráter de Fundação sem fins lucrativos, como se justifica a existência de pagamento de comissão sobre contratos para os funcionários do Dep. Comercial? Isso não caracteriza uma quebra de isonomia de direitos e instituição de privilégios discriminatórios?

10. O que vossa senhoria pensa das representações comerciais que tem o CPqD e como serão tratados os projetos que não são especificamente ligados as tecnologias de informação e comunicação (TIC)?