SINTPq e IDET participam de reunião do Conselho Municipal de CT&I

Encontro contou com a presença de José Paulo Porsani, presidente do SINTPq, e representantes de empresas e entidades do setor tecnológico

30/06/2022

O SINTPq esteve presente na 58ª reunião do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação de Campinas, na tarde da última sexta-feira (24). O encontro foi realizado no CNPEM (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais) e contou com a presença de representantes da Prefeitura Municipal, CPQD (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações), Unicamp, entre outras empresas e entidades do setor tecnológico.

José Paulo Porsani, presidente do SINTPq, foi responsável por apresentar os projetos socioambientais apoiados pelo IDET (Instituto Popular de Desenvolvimento em Educação, Trabalho e Tecnologia), entidade que reúne sindicatos e outras organizações de cunho social. Em 2022, o IDET vem ampliando sua atuação e pesquisando novas formas de contribuir com ações de cidadania e preservação ambiental.

Durante sua apresentação, o presidente do SINTPq sugeriu que o CMCTI se aproximasse de outras iniciativas que desenvolvem importantes projetos sociais e educacionais, principalmente nas periferias. “Precisamos, cada vez mais, desenvolver esses temas no conselho. Como nós podemos fazer a municipalidade conhecer esses projetos e ajudar?”, questionou Porsani.

Um dos projetos apresentados foi a Ecojolo, uma fábrica-escola de tijolos ecológicos localizada no Satélite-Íris, em Campinas. Em abril, o IDET visitou a iniciativa e propôs mobilizar outros agentes para contribuir com a reativação da fábrica. A organização da Ecojolo já tem as máquinas necessárias e recebeu um terreno da Prefeitura, mas o espaço ainda está inadequado para a utilização.

Na reunião, foram apresentados projetos desenvolvidos por diferentes empresas integrantes do conselho

Enquanto pontuava os aspectos inovadores e socioambientais da Ecojolo, Porsani reforçou a importância da troca de conhecimento entre os membros do conselho e as periferias: “É necessário discutir essas questões que estão à nossa volta. Felizmente, com a criação do IDET, estamos indo às periferias conhecer as demandas e a realidade das comunidades”.

O Dr. Newton Frateschi, vice-presidente do CMCTI, propôs que o Conselho paute e apresente propostas para essas iniciativas a partir do próximo encontro. Dessa forma, as entidades que compõem o CMCTI devem participar ativamente do desenvolvimento dessas atividades nos próximos meses. “É uma discussão que não termina aqui, temos que ter isso mais estruturado. Convido a todos a pensarem em que tipo de programa as instituições poderiam ajudar”, disse Frateschi.

Além da exposição do IDET, algumas empresas também mostraram seus projetos. No início da reunião, o diretor-geral do CNPEM, Antônio José Roque da Silva, apresentou as estruturas e as atividades desenvolvidas pelo centro. Segundo o diretor, o CNPEM desenvolveu, aproximadamente, 140 projetos e serviços em parceria com outras empresas entre 2017 e 2021.

Outra iniciativa apresentada ao conselho foi o Open 5G @Campinas, do CPQD. Paulo Curado, diretor de inovação do CPQD, explica que o Open 5G é uma iniciativa que pesquisa aplicações do 5G em educação, saúde, indústria e outras áreas. O projeto é pensado em conjunto com outras empresas e tem como objetivo compartilhar conhecimento e estimular ações colaborativas.

A próxima reunião do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação será realizada em agosto, no CTI Renato Archer. Com a participação no CMCTI, o SINTPq e o IDET esperam contribuir ativamente para a construção de iniciativas científico-tecnológicas que tragam benefícios reais aos trabalhadores e trabalhadoras.