Trabalhadores do IPT realizam protesto contra reajuste no plano de saúde

03/04/2017

Em um dia de mobilização histórica, os IPTeanos e IPTeanas deixaram claro que estão unidos e dispostos a lutar contra o abusivo reajuste de 55% no plano de saúde. Mais de 350 funcionários realizaram paralisação e assembleia na manhã de sexta-feira (31), na portaria principal do Instituto, manifestando sua indignação com o aumento e a forma como a empresa tem conduzido a situação.

Durante a manifestação, diretores do SINTPq e a presidente do Conselho de Representantes dos Empregados (CRE), Ros Mari Zenha, apresentaram informes sobre o problema e denunciaram as incoerências presentes no processo negocial entre a operadora do plano de saúde e a direção do Instituto. O presidente do IPT, Fernando Landgraf, também compareceu à manifestação e pediu a palavra para prestar suas explicações aos trabalhadores.

No início da tarde, cerca de 250 trabalhadores do IPT saíram em caminhada promovendo um "apitaço" até a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDECTI). O objetivo da mobilização foi pressionar os membros do conselho administrativo do IPT e da Secretaria, que se reuniram no mesmo horário e local. Na chegada à sede da Secretaria, os trabalhadores foram recebidos por Maurício Juvenal, chefe de gabinete do secretário da SDECTI, Márcio França. Um abaixo-assinado contra o reajuste com 559 assinaturas também foi entregue ao conselho.

Maurício Juvenal ouviu os trabalhadores e os representantes do SINTPq e do CRE no auditório da SDECTI. O chefe de gabinete demonstrou surpresa ao ser informado sobre o percentual de reajuste e a forma como a direção do IPT conduziu essa questão sem abrir diálogo com os funcionários e suas entidades representativas.

Juvenal cobrou que o Instituto entre na justiça contra o reajuste junto com o Sindicato e não deixe essa luta apenas com os trabalhadores. Além disso, o chefe de gabinete se prontificou a levar a questão para o conselho administrativo do IPT e ao secretário Márcio França.

Quando indagado sobre a possibilidade do IPT absorver integralmente o reajuste sem o repasse aos funcionários, ou mesmo que parcialmente com 90% pagos pelo IPT e 10% pelos funcionários, Maurício Juvenal afirmou que seriam necessários recursos adicionais oriundos do Governo Estadual e que a Secretaria levaria esta demanda ao governador. Confira a íntegra da conversa em vídeo.

O SINTPq está preparando ações jurídicas para buscar reverter o aumento abusivo. Independentemente dos resultados obtidos pela via judicial, os IPTeanos e IPTeanas terão que se manter mobilizados contra esse novo ataque aos seus benefícios. Acompanhe os próximos comunicados e ações do Sindicato e nos ajude nessa batalha!

Mobilizações tiveram resultado
O poder de mobilização demonstrado na sexta-feira (31) surtiu efeito imediatamente, tanto que no mesmo dia o IPT buscou junto à Caixa Seguradora permitir que interessados em mudar para uma categoria inferior do plano o façam até o próximo dia 6 de abril.

Em reunião realizada nesta segunda-feira, dia 3, o SINTPq pleiteou ao Presidente do IPT que todos aqueles que optem por uma categoria inferior tenham a diferença dos valores praticados no mês de março estornados em seus vencimentos.

O benefício do Plano de Saúde é tão importante que deve ser priorizado na Campanha Salarial 2017, de forma a buscar uma nova relação de percentual que incentive a permanência de todos os profissionais e seus dependentes no mesmo.