Assembleia encerra campanha salarial do CNPEM com correção inflacionária

14/09/2021

Presidente do SINTPq, José Paulo Porsani, abre assembleia no CNPEM, que também foi transmitida online para profissionais em home office (FOTO: Fernando Almeida/Comunicação SINTPq)

Presidente do SINTPq, José Paulo Porsani, abre assembleia no CNPEM, que também foi transmitida online para profissionais em home office (FOTO: Fernando Almeida/Comunicação SINTPq)

Terça-feira (14) foi dia de assembleia presencial e online no CNPEM. Em votação com mais de 280 participantes, os trabalhadores aceitaram a contraproposta da empresa, que reajustará os salários pela inflação. A assembleia ocorreu de forma presencial, no campus do Centro, e também foi transmitida simultaneamente em videoconferência para os empregados em teletrabalho. 

O IPCA do período (8,99%) será implementado em duas parcelas. A primeira será de 5%, paga na próxima folha salarial de forma retroativa a agosto/2021. Em dezembro, os 3,99% restantes serão pagos com a mesma retroatividade.

Os demais itens da contraproposta aprovada podem ser conferidos no documento disponível no link.

O novo acordo é uma conquista dos trabalhadores e do sindicato, uma vez que a contraproposta inicial não corrigia integralmente os salários. Sem a alta participação nas assembleias, a deflagração de estado de greve e as mobilizações online, o reajuste e outros avanços importantes na negociação não seriam possíveis.

O SINTPq agradece o engajamento de todos os funcionários nesta campanha salarial. Certamente, as próximas negociações coletivas contarão com ainda mais empenho e união.

Para apoiar ainda mais a luta dos trabalhadores, a sindicalização é fundamental. Além de contribuir com o trabalho do sindicato, os associados têm acesso a diversos benefícios que você pode conferir aqui.

Retrospectiva da Campanha Salarial

A remuneração do conjunto de mais de 650 funcionários – formado em grande parte por técnicos e pesquisadores altamente qualificados – está congelada desde 2019, pois a direção do CNPEM e o Governo Federal negaram a possibilidade de qualquer reajuste na negociação coletiva do ano passado. Na negociação salarial deste ano, o Centro ofereceu 5% de reajuste em sua primeira contraproposta, índice abaixo da inflação do último período, que corresponde a 8,99% conforme o Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O SINTPq e os funcionários do CNPEM reagiram aprovando Estado de Greve em assembleia no dia 24 de agosto. Mais de 230 trabalhadores e trabalhadores participaram da assembleia, que ocorreu de forma presencial no campus do Centro e também foi transmitida simultaneamente em videoconferência para os empregados em teletrabalho. Com a decisão, os profissionais passaram a poder paralisar as atividades assim que julgassem necessário.

Com a deliberação pelo início do Estado de Greve, o SINTPq iniciou diferentes ações para fazer desse período um momento de mobilização e engajamento. Veiculações na imprensa e publicações nas redes sociais denunciaram a situação enfrentada pelos profissionais do CNPEM. O objetivo, alcançado com sucesso, foi pressionar a direção do Centro a rever sua postura, buscando soluções ainda na esfera negocial.

Sobre o CNPEM

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) é uma organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Localizado em Campinas-SP, possui quatro laboratórios referências mundiais e abertos à comunidade científica e empresarial. O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) opera a única fonte de luz Síncrotron da América Latina e também é responsável pelo Sirius, o novo acelerador brasileiro, de quarta geração, para análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos; o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) desenvolve pesquisas em áreas de fronteira da Biociência, com foco em biotecnologia e fármacos; o Laboratório Nacional de Biorrenováveis (LNBR) pesquisa soluções biotecnológicas para o desenvolvimento sustentável de biocombustíveis avançados, bioquímicos e biomateriais, empregando a biomassa e a biodiversidade brasileira; e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o país.

Sirius

A edição 27 do SindCast abordou o papel do CNPEM e do Sirius no combate ao coronavírus. Para isso, o programa teve uma convidado especial: o diretor-geral do CNPEM, professor José Antônio Roque da Silva. Durante o programa, ele comenta a atuação do centro neste momento de pandemia, as pesquisas relacionadas ao vírus e os planos para o futuro. Enriquecendo o debate, o episódio também conta com o diretor do SINTPq e profissional do Instituto de Pesquisas Tecnológicas, Régis Norberto Carvalho.