Dissídio Coletivo: IPT não aceita decisão do Tribunal Regional do Trabalho

Durante live da diretoria realizada na tarde de quarta-feira (20), os representantes do IPT deixaram claro que o jurídico do Instituto recorrerá ao TST.

21/10/2021

Surpreendendo um total de zero pessoas, o IPT não aceitou cumprir a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) em relação ao dissídio deste ano. O jurídico do Instituto entrou com embargos de declaração, que nada mais são do que questionamentos sobre uma decisão judicial. Esses embargos serão analisados pelo próprio TRT e, enquanto o tribunal não se manifestar a respeito, o IPT não precisará cumprir as determinações do acórdão anteriormente divulgado.

Durante live da diretoria realizada na tarde de quarta-feira (20), os representantes do IPT deixaram claro que, após a resposta do TRT sobre os embargos, o jurídico do Instituto recorrerá ao Tribunal Superior do Trabalho (TST). Mais uma vez, o IPT busca de todas as maneiras se esquivar de pagar o que deve aos seus próprios funcionários.

Ao recorrer até as últimas instâncias possíveis, o Instituto penaliza seus profissionais com mais um longo período sem reajuste. Tudo isso enquanto a inflação segue fora de controle, corroendo o poder de compra dos trabalhadores e trabalhadoras.

Os gestores do Instituto posam de responsáveis ao seguir à risca as orientações do GESP. Porém, quanto mais demoram para pagar o que devem, maior será o prejuízo para o caixa do IPT com os retroativos em 2022.

O SINTPq e seu jurídico seguirão acompanhando o processo de perto. Havendo novidades, os ipteanos e ipteanas serão informados. Mesmo com todas as dificuldades enfrentadas, sindicato e trabalhadores seguem firmes na luta e confiantes na vitória.