Trabalhadores da Monsanto querem avançar nas negociações

02/12/2011

rimeira contraproposta da direção da Monsanto foi de 0,7% de reajuste real para salários de até R$ 6 mil, recusada já na mesa de negociação pelo SinTPq. Depois, chegaram à proposta de 1,5%, porém para salários de até R$ 5 mil. Essa foi recusada pelos trabalhadores com 57 votos contra e 18 a favor. A assembleia aconteceu na quinta-feira, dia 1º, deliberou sobre a proposta e também sobre quais serão as prioridades para as próximas mesas de negociação.

Três pontos foram priorizados: 9% de reajuste para todos os trabalhadores; vale refeição de R$23; e piso salarial de 1,5 salários mínimos nacional. 

A porcentagem de 9% de reajuste, entre reposição do IPCA e aumento, é baseada no que foi efetuado na unidade da Monsanto de São José dos Campos. Já o vale alimentação a empresa diz não querer reajustar por comparar com os valores fornecidos pelas empresas que fazem parte do condomínio Tecno Park; Para os trabalhadores a justificativa não é válida, uma vez que essa diferença aconteceu por que em campanhas anteriores o aumento do benefício substituiu o aumento real e não reajustá-lo agora seria retirar esse aumento e a conta da empresa não leva em conta a inflação passada ocorrida nos restaurantes do condomínio e nem leva em consideração a inflação futura. 

Estipular piso salarial é fundamental para garantir que os salários não sejam rebaixados em longo prazo. Hoje, nenhum trabalhador ganha menos do que esse valor na unidade da Monsanto em Campinas, ou seja, aceitar esta cláusula não traz impacto financeiro, mas garante que não sejam demitidos profissionais para que a empresa contrate outras pessoas por valores inferiores.

 

Outros pontos de pauta

Férias bipartidas: Será mantida;

Férias: A empresa garantirá estabilidade de 50% do tempo praticado de férias. Por exemplo, se o funcionário tirou 10 dias de férias, não poderá ser demitido por 5 cinco dias após seu retorno;

Complementação auxílio doença: os trabalhadores que recebem acima do piso do INSS e ficarem afastados pelo órgão receberão da empresa a diferença entre o valor recebido pelo benefício e seu salário;

Representante Sindical: Não foi aceito;

Licença maternidade: a proposta de ampliar a licença maternidade para 180 dias foi levada para a Monsanto mundial. A mudança é vista de forma positiva pela direção, porém só será implantada após a autorização e não foi estabelecido prazo;

Horas extras: continua a mesma do acordo anterior porem agora as horas trabalhadas aos sábados terão 50% do seu valor pago e 50% para o banco de horas.

Dias pontes: A empresa aceitou estabelecer um calendário para repor os dias pontes de feriados nacionais;

Vale combustível: Não foi aceito;

Equiparação salarial: existiam novos trabalhadores sendo contratados com salários superiores das pessoas com mais tempo de casa, a empresa disse que a situação já foi regularizada e não existem mais casos como estes.